Religião

Qual é o Significado da Palavra Religião?sagrada-familia_1024

Religião: (especula-se várias origens. Detalhes na seção etimologia) é um conjunto de sistemas culturais e de crenças, além de visões de mundo, que estabelece os símbolos que relacionam a humanidade com a espiritualidade e seus próprios valores morais.
Muitas religiões têm narrativas, símbolos, tradições e histórias sagradas que se destinam a dar sentido à vida ou explicar a sua origem e do universo.
As religiões tendem a derivar a moralidade, a ética, as leis religiosas ou um estilo de vida preferido de suas ideias sobre o cosmos e a natureza humana.
A palavra religião é muitas vezes usada como sinônimo de fé ou sistema de crença, mas a religião difere da crença privada na medida em que tem um aspecto público.
A maioria das religiões têm comportamentos organizados, incluindo hierarquias clericais, uma definição do que constitui a adesão ou filiação, congregações de leigos, reuniões regulares ou serviços para fins de veneração ou adoração de uma divindade ou para a oração, lugares (naturais ou arquitetônicos) e/ou escrituras sagradas para seus praticantes.
A prática de uma religião pode também incluir sermões, comemoração das atividades de um deus ou deuses, sacrifícios, festivais, festas, transe, iniciações, serviços funerários, serviços matrimoniais, meditação,música, arte, dança, ou outros aspectos religiosos da cultura humana.

                                                            Quando Nasceu a ReligiãoJesus


A Religião nasceu junto com o Homem, não exatamente assim mais no Período Paleolítico e Neolítico.
Quando escolhemos uma Religião fazemos uma definição sobre os caráter Éticos e Moral dela se vai de encontros com os seus princípios morais.
Feito essa escolha, partimos para ver a doutrina que mais nos identificamos.
Realizada a escolha da doutrina, vamos escolher a casa e depois ver o perfil do Líder Espiritual o Sacerdote.
Uma vez isso realizado todos esses passos temos que ver as Normas da Casa.
Se todos os paramentos estão de acordo com o seus princípios Éticos, Morais e Familiar, estão de acordo dai estabelece uma relação de comunidade.
Partindo para esse princípios você não tem que mudar as coisas dentro desta religião e sim acatar o que e passado pela ancestralidade e não por inovações e novos paramentos.
Não esta satisfeito, procure outra que mais te agrada, escolha a casa e segue os preceitos que há dentro dela que foi formada através dos séculos.

Juremeiro Neto

História do Nascimento da Religião

A palavra “religião” foi usada durante séculos no contexto cultural da Europa, marcado pela presença do cristianismo que se apropriou do termo latino religião.
Em outras civilizações não existe uma palavra equivalente.
O hinduísmo antigo utilizava a palavra rita que apontava para a ordem cósmica do mundo, com a qual todos os seres deveriam estar harmonizados e que também se referia à correta execução dos ritos pelos brâmanes. Mais tarde, o termo foi substituído por Dharma, termo que atualmente é também usado pelo budismo e que exprime a ideia de uma lei divina e eterna, Primeira manifestação humana de um sentimento religioso, a qual surgiu nos Período Paleolítico e Neolítico  e que se expressa por um vínculo com a Terra e com a Natureza, os ciclos e a Fertilidade.
Nesse sentido, a adoração à Deusa mãe, à Mãe Terra ou Mãe Cósmica estabeleceu-se como a primeira religião humana.
Em torno desse sentimento formaram-se sociedades matriarcado centradas na figura feminina e suas manifestações.
Cada religião inspira certas normas e motiva certas práticas.
(especula-se várias origens. Detalhes na seção etimologia) é um conjunto de sistemas culturais e de crenças, além de visões de mundo, que estabelece os símbolos que relacionam a humanidade com a espiritualidade e seus próprios valores morais.
Muitas religiões têm narrativas, símbolos, tradições e histórias sagradas que se destinam a dar sentido à vida ou explicar a sua origem e do universo.
As religiões tendem a derivar a moralidade, a ética, as leis religiosas ou um estilo de vida preferido de suas ideias sobre o cosmos e a natureza humana.
A palavra religião é muitas vezes usada como sinônimo de fé ou sistema de crença, mas a religião difere da crença privada na medida em que tem um aspecto público.
A maioria das religiões têm comportamentos organizados, incluindo hierarquias clericais, uma definição do que constitui a adesão ou filiação, congregações de leigos, reuniões regulares ou serviços para fins de veneração ou adoração de uma divindade ou para a oração, lugares (naturais ou arquitetônicos) e/ou escrituras sagradas para seus praticantes.
A prática de uma religião pode também incluir:

  • Sermões, comemoração das atividades de um Deus ou Deuses,
  • Sacrifícios, festivais, festas, transe, iniciações, serviços funerários,
  • Serviços matrimoniais, meditação, música, arte, dança, ou outros aspectos religiosos da cultura humana.

O desenvolvimento da religião assumiu diferentes formas em diferentes culturas.
Algumas religiões colocam a tônica na crença, enquanto outras enfatizam a prática.
Algumas religiões focam na experiência religiosa subjetiva do indivíduo, enquanto outras consideram as atividades da comunidade religiosa como mais importantes. Algumas religiões afirmam serem universais, acreditando que suas leis e cosmologia são válidas ou obrigatórias para todas as pessoas, enquanto outras se destinam a serem praticada apenas por um grupo bem definido ou localizado.
Em muitos lugares, a religião tem sido associada com instituições públicas, como educação, hospitais, família, governo e hierarquias políticas.
Alguns acadêmicos que estudam o assunto têm dividido as religiões em três categorias amplas:

  • Religiões mundiais, um termo que se refere à crenças transculturais e internacionais;
  • Religiões Indígenas, que se refere a grupos religiosos menores, oriundos de uma cultura ou nação específica;

E o novo movimento religioso, que refere-se a crenças recentemente desenvolvidas.
Uma teoria acadêmica moderna sobre a religião, o construtivismo social, diz que a religião é um conceito moderno que sugere que toda a prática espiritual e adoração segue um modelo semelhante ao das religiões abraâmicas, como um sistema de orientação que ajuda a interpretar a realidade e definir os seres humanos e, assim, a religião, como um conceito, tem sido aplicado de forma inadequada para culturas não-ocidentais que não são baseadas em tais sistemas ou em que estes sistemas são uma construção substancialmente mais simples.

CONCEITO

P1020299

Existem termos que são ditos/escritos frequentemente no discurso religioso grego, romano, Judeu e Cristão.
Entre eles estão:
Sacro e seus derivados (sacrar, sagrar, sacralizar, sacramentar, execrar), profano (profanar) e deus(es).
O conceito desses termos varia bastante conforme a época e a religião de quem os emprega.
Contudo, é possível ressaltar um mínimo comum à grande parte dos conceitos atribuídos aos termos.
Os religiosos Gregos e Romanos criam na existência de vários Deuses;
Os Judeus, Muçulmanos e Cristãos acreditam que há apenas uma divindade, um ser impossível de ser sentido pelos sensores humanos e que é capaz de provocar acontecimentos improváveis/impossíveis que podem favorecer ou prejudicar os homens.
 Para grande parte das religiões, as coisas e as ações se dividem entre sacras e profanas.
Sacro é aquilo que mantém uma ligação/relação com o(s) deus(es).
Frequentemente está relacionado ao conceito de moralidade.
Profano é aquilo que não mantém nenhuma ligação com o(s) deus(es).
Da mesma forma, para grande parte das religiões a imoralidade e o profano são correspondentes.
Já o verbo “profanar” (tornar algo profano) é sempre tido como uma ação má pelos religiosos.

DEFINIÇÃO

nossaSenha

Dentro do que se define como religião podem-se encontrar muitas crenças e filosofias diferentes.
As diversas religiões do mundo são de facto muito diferentes entre si.
Porém ainda assim é possível estabelecer uma característica em comum entre todas elas.
É facto que toda religião possui um sistema de crenças no sobrenatural, geralmente envolvendo divindades, deuses e demônios.
As religiões costumam também possuir relatos sobre a origem do Universo, da Terra e do Homem, e o que acontece após a morte.
 A maior parte crê na vida após a morte.
A religião não é apenas um fenômeno individual, mas também um fenômeno social. Exemplos de doutrinas que exigem não só uma fé individual, mas também adesão a um certo grupo social, são as doutrinas da Igreja, do Judaísmo, dos Amish.
A ideia de religião com muita frequência contempla a existência de seres superiores que teriam influência ou poder de determinação no destino humano. Esses seres são principalmente deuses, que ficam no topo de um sistema que pode incluir várias categorias: anjos, demônios, elementais, semideuses, etc.
 Outras definições mais amplas de religião dispensam a ideia de divindades e focalizam os papéis de desenvolvimento de valores morais, códigos de conduta e senso cooperativo em uma comunidade.
Ateísmo é a ausência de crença em qualquer tipo de deus, muitas vezes se contrapondo às religiões teístas.
Agnosticismo é a postura filosófica que afirma ser impossível saber racionalmente sobre a existência ou inexistência de deuses e sobre a veracidade de qualquer religião teísta, por falta de provas favoráveis ou contrárias.
Deísmo é a crença na existência de um Deus criador, mas questiona a ideia de revelação divina.
As religiões que afirmam a existência de deuses podem ser classificadas em dois tipos: monoteísta ou politeísta.
As religiões monoteístas (monoteísmo) admitem somente a existência de um único deus, um ser supremo.
As religiões politeístas (politeísmo) admitem a existência de mais de um deus.
Atualmente, as religiões monoteístas são dominantes no mundo: Judaísmo, Cristianismo islamismo juntos agregam mais da metade dos seres humanos e quase a totalidade do mundo ocidental.
Além destas, o Zoroastrismo, a Fé Bahá’í, o Espiritismo e Bnei Noah são religiões monoteístas.

FONTE:http://pt.wikipedia.org/wiki/Wikip%C3%A9dia:P%C3%A1gina_principal 

Juremeiro Neto

Anúncios