Amará José

A MESTRA DO AMOR IMPOSSÍVEIS
adolphe-jourdan-the-flowerseller
Todos nós temos uma sina dado por Deus mais de Maria Amara, foi muito pesada, muito pobre e jogada na vida a sua própria sorte, vendia Alho Roxo na porta do Mercado de São José no bairro de Mesmo nome na Capital de Recife – Pernambuco.
Vamos voltar a Historia novamente para ver que tempos era e o que aconteceu junto, pois os Encantados da Jurema Sagrada, fala quem são em sua Cantigas (Lírios) e pessoalmente acostados em seus Discípulos.
Origem da Mestra Amara José
– É sua Cidade Encantada de Ipanema.
A Mestra Amara José era filha de uma Índia do Grupo indígena: Fulni-ô , Localização: Águas Belas/ PE.O domínio dos Fulni-ô sobre as terras de Águas Belas é bastante antigo, e desenvolve-se profundamente imbricado com o antigo aldeamento que originaria o núcleo urbano de Águas Belas.
Desde o século XVIII têm se notícias de índios ocupando a Serra do Comunati, situada ao norte da atual cidade de Águas Belas.
Por esta época foi criado o Aldeamento do Ipanema, cujas terras seriam doadas aos índios “Carnijós” pelo Governo Imperial através de Carta Régia nº 33 em 05 de junho de 1705.Parte desta terra seria cedida em 1832 à Igreja de Nossa Senhora da Conceição de Águas Belas que passou a arrendar lotes onde viria a se constituir a cidade de Águas Belas (no centro da área, a sede do antigo aldeamento).
Na segunda metade do século XIX o Governo Imperial, através do Aviso de 4 de novembro de 1861, teria determinado a extinção do antigo aldeamento, dado os conflitos entre índios e arrendatários, ato que, no entanto não chegou a ser cumprido.
Um ano mais tarde uma nova medida do governo estabeleceu que fossem distribuídos lotes de terras para os índios, o que seria realizado 15 anos mais tarde (1877) com a demarcação de 427 lotes, sendo 320 com 30 ha e 107 em tamanhos diversos.

RESUMO DA HISTÓRIA DO MERCADO DE SÃO JOSÉ RECIFE -PE

Sítio dos Coqueiros Recife Pernambuco, era o nome original do terreno, onde se encontra localizado o Mercado de São José, no século XVI, pertencia ao casal, Belchior Alves Camelo e sua mulher Joana Bezerra, que doaram aos Frades Capuchinhos da Igreja da Penha, escritura lavrada em 06 de Abril de 1655 e chamava-se Sítio dos Coqueiros.
No começo do século XIX, o governador de Pernambuco Dom Tomás José de Melo ordenou a construção, no largo, do Mercado da Ribeira do Peixe, um conjunto de barracos que comercializavam frutas, verduras e peixes.
Passou a se chamar, Mercado de São José foi inaugurado em 07/09/1875 e possui a mesma arquitetura neoclássica dos mercados Europeus da época.
Trata-se de um dos principais mercados públicos municipais, possuem uma imensa diversidade de produtos e serviços: Cascas de Árvores Sagrada, Raizeiros, Cachimbos, roupas, frutas, carnes, folhetos de cordel, produtos de Jurema Sagrada e espirituais.
Endereço é Praça Don Vital, Bairro: São José, Recife, Pernambuco, Brasil.mercados-jose1910MERCADO DE SÃO JOSE EM 1907
HISTÓRIA DA VIDA DA MESTRA AMARA JOSÉ

Por volta de 1865 a 1877 nasceu Amara, filha de uma índia Fulni-ô em Águas Claras Pe, e uma mestra encantada da cidade de Ipanema, com o grande número de Europeus que tinha e explorava os trabalhos e sexualmente as índias, nasce a Amara jogada a sua própria sorte, foi consagrada em sua aldeia ainda menina.
Amara e sua mãe foram para a cidade de recife em busca da boa sorte, pois sua mãe não tinha marido, pois foi explorada sexualmente junto com a sua filha mocinha foi para recife e por lá morreu deixando Amara aos arredores do Mercado de São José, vendendo alho roxo que pegava para venda na porta do mercado, a noite dormia por ali mesmo, se prostituía por comida.
Mestra Amara ganhou o apelido José após o seu nome porque esse motivo que trabalhada todos os dias na porta do Mercado de São José e as noites se nas Ruas próximos aos prostíbulos, e dormia ai onde desce moradora de rua.
Mestra Amara José e uma das Mestras Protetora do Amor, criada descriminada por ser filha índia e sem paternidade, que segundo relata era filha de um estrupo de um Padre Jesuíta com sua mãe que era índia.
Apesar da má sorte de sua concepção por ser mestiça era muito bonita a Jovem Mulher.
Amara era muito boa nas suas garrafadas para mulher pegar barriga, homem não perder a potencialidade, e por ter grande conhecimento com ervas que aprendera com sua mãe. Recebera o apelido de Amara José por causa do Mercado que trabalhava de Dia nas enumeras portas do mercado vendendo alho roxo como eu já disse, no cair da Noite, por qualquer trocados se prostituía para matar a sua fome.
Amara José durante o Dia, além de vender réstia de Alho Roxo, também fazia Garrafadas para diversos males, essa sabedoria tinha herdado de seus antepassados, pois era mestiça filha de índia com Europeu – Padre Jesuita.
No meio dos índios, o amor não é o principal fator para a escolha de um cônjuge As mulheres preferem um grande caçador, um bom agricultor, um guerreiro ou um curandeiro de prestígio.
Os homens, por sua vez, preferem as mulheres mais trabalhadoras, em vez das mais bonitas.
Mais a Mestra Maria Amara, que e chamada nas ruas pelos clientes de Maria como se ver em seus lírios.

– “Me CHAMA DE MARIA, MAIS O MEU NOME E AMARA JOSÉ…”

MERCADO DE SÃO JOSE EM 1910 ela mesmo gostava de ser Chamada de e Amara José, pois que a vida que ela tinha na porta do mercado e muito melhor que na Aldeia com Guerras e conflitos.
Amara foi passada na para Jurema por defender uma amiga meretriz que estava apanhando de um homem, ele a matou na porta do Mercado são José, ela foi encantada pelos seus grandes feitos dentro da Jurema de ter um coração bom e ajudar as pessoas no máximo, de ser curandeira com suas garrafas, magia indígena.
Vamos ver agora alguns Lírios que a Mestra canta na sua Gira de Jurema, hoje na jurema os seus Discípulos lhe cobre de muito amor, e beleza pois e uma mestra muito amada por quem a conhece.

Lírio da Mestra Amara José

Certo dia estava nas campinas,
Quando avistei uma moça em pé,
Moça bonita linda e formosa me diga logo seu nome qual é?
Lhe chamam de maria mais o meu nome é amara José,
Mas eu sou uma bêbada da noite, trabalho de dia no mercado de São José,
Eu sou a vendedora de alho,
Vendedora de alho da cabeça roxa,
Quer alho meu amor, quer alho da cabeça roxa.”

Outro Lírio da Mestra Amara José

Mestra Amara José
Amiga das mulheres mestra mais humana.

Lírio.

Me chama de Maria, mas o meu nome é Amara José,
Uma “beba” da noite do mercado são José.
Caso homem com mulher unindo num laço só.
Amigo homem com homem é mulher com mulher.
Ela vem lá da jurema, pra fazer seus catimbó.

Juremeiro Neto