Mestre Zé Maria

Mestre José Maria Feliciano *(…..não posso revelar todo o seu nome) nasceu em Floresta – Pernambuco, é por motivos de uma grande briga de família que até os dias de hoje existem por lá, se meteu em confusão fugiu para a Serra Negra o nome da Serra que existe na cidade, e foi consagrado para o seu mestre em uma Aldeia Indígena, para o Mestre Preto Zé Pelintra e Mestre Zé Molambo.
cropped-dsc00153Ele saiu da Cidade de Floresta e foi para Serra Negra e após consagrado foi criado dentro de uma Aldeia indígena as margens do Rio Pajeú.
A sua família foi para Recife e foi morar no Bairro da Encruzilhada próximo a estação de Trem onde que na sua época tinha muito comerciantes por causa do grande fluxo de pessoas que se desenvolveu muito e a Zona Boemia era Grande e a prostituição à noite também por causa da Movimentação.000ZEJosé Maria porque que todas as noites era motivo de sair para a vida Boemia, bebia além do seu limite e como era conhecido na época pelo seus catimbós com o seu Mestre Preto Zé Pelintra.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quando ele chega na Aldeia do Tronco da Jurema do Caboclo Pajé Rio Verde, ele canta os seus Lírios, canta para o seu Mestre Preto Zé Pelintra, 

Mestre Pelintra
(louvando o seu caboclo)
(para quem ele foi consagrado)
Eu trago a pena do meu caboclo no chapéu de couro,
Nego Pelintra vai dominar seu coração.
O meu Mestre me diga um segredo seu?
Porque na Jurema quem duvidou morreu.

Sabemos que para ser um Mestres ou foi arrebatado pela Jurema ou seu Mestre lhe encantou na hora de sua Passagem a foto acima sou eu o Juremeiro Neto, no exato lugar onde o Mestre José Maria foi arrebatado para a Jurema por seu mestre ele se encantou nesse Lugar

Lírio do Mestre Zé Maria

Lá na encruzilhada tem uma estação de Trem
Eu fico olha para a Parada se a minha Nega vem.
É o Trem corre e por cima da Linha (bis)
Corre linha desenrola carretel
Não tem cachaça boa melhor do que do Bordel.
É o Trem Corre e por cima da Linha (bis)
Cruz Credo seu Zé Maria quanto mais tu, cantava mais cachaça tu bebia
É o Trem corre e por cima da Linha (bis)
Sobe rua e desce a Ladeira Zé Maria foi passado por debaixo de uma Figueira.
É o Trem corre e por cima da Linha(bis)

WhatsApp-Image-20160721Nesse Local e um pé de Figueira conforme o Mestre canta, próximo a rua da Guia e do Apolo.
Foi aqui que o Mestre Zé Maria deitou bêbado e foi arrebatado para a Jurema.

Messe linho ele fala como foi a sua passagem próximo a rua da guia na tem o cais do Apolo e ele bebida e não dava conta de voltar para a casa e se deitou para dormir no pé de uma figueira que até hoje existe no local e foi encantado.
250px-Malakoff
O Mestre Zé Maria faz referencia também ao Velho ranzinza Mestre Zé Mulambo.
Mestre Molambo
Céu azul!
Se o céu e azul! (bis)
Trago no peito o meu estandarte, a minha força quem me deu foi Deus.
A minha ciência quem me deu foi Salomão.
Voeis sois o moço Molambo, que trás, a sina na palma da mão. Céu Azul

Mestre Zé Maria e um Mestre de uma Alma muito pura e ingenua, não traz maldade, onde passa deixa alegria com seus cantar e brincadeiras sempre trazendo alegria aos que estão a sua volta. Mestre Zé MariaMestre Zé Maria, Atuado no Juremeiro Neto.
viveu por volta de 1886 a 1912, foi passado ainda Moço com 26 anos, Já o  seu Mestre Preto Zé Pelintra com 114 anos.???????????????????????????????
Mestre Zé Maria gosta muito de usar o Branco porem o vermelho e preto lhe chama muita atenção, depende da corrente que veio trabalhar.
É um Mestre que hoje em Sala vem para benzer as pessoas, passar uma fumaçada, e dar conselhos e avisos.
Como ja foi dito e um Bom Mestre de coração grande, tem muito ciumes de seus discípulos e amigos.
O Mestre Zé Maria era um Boemia, a grande diferença entre Boêmio e Malandro, o Boêmio trabalhar para gastar todo o seu dinheiro na noite com bebida e mulheres e jogo.
Já o Malandro não vive de Malandragem conta com a sorte.
Seu Zé Maria viveu na mesma época em que Zé Malandro viveu, sendo esse Mestre Zé Malandro em vida era consagrado para o Mestre Preto Zé Pelintra também e usava terno linho 120 branco e sempre uma camisa colorida de preferência Vermelha.
Zé Malandro era apaixonado pela Amalha que era a Mestra Chamada Maria Navalhada,  Amalha irmã da Mestra Anália que morava no Bairro Casa Amarela.
Porém mesmo Zé Malandro apaixonado por Navalha ele não conseguia ser de uma Mulher só, Forçava a Navalhada a se prostituía para sustentar ele.
Já outro médium do Mestre Preto Zé Pelintra cujo o qual foi o primeiro que o Nego Zé Pelintra se manifestou se chamava José Gomes da Silva.
Como era de costume da época ganhar o apelido de seu Mestre, como o Mestres José Gomes da Silva teve o apelido de Zé Pelintra que ajudou ele também era Zé.
No caso do Zé Malandro não foi possível que os amigos que pois apelido de Malandro pela as suas atitudes e malandragem que o nego tinha.
WhatsApp Image 2017-04-11 at 10.11.43Mestre Zé Maria Atuado no Juremeiro Neto, em uma gira no pé da Fogueira após uma cerimonia de Toré na Aldeia do Tronco da Jurema do Caboclo Pajé Rio Verde.
Não vamos confundir com a linha de Malandro do Rio de Janeiro que e uma linha de Umbanda já e outro caminho.
Vá na Historia de Preto Zé Pelintra tem o relato como nasceu o Zé Pelintra da Lapa que não e um mestre mais sim um grande guia que fundou a linha de malandragem da umbanda.
O Mestre Zé Maria devido a Boemia, Jogos, e alcoolismo, quando acordava com o Sol na cara, Jurava de Pé Junto que nunca mais ia beber tanto assim, só bastava o Zé Malandro, Zé do Beco, Zé Enganador os seus amigos da Boemia chamar ele no Bairro da Encruzilhada  em Recife, pronto deixava de ajudar os seus pais que era comerciante no local, pronto só no outro dia com outra promessa que e era a ultima vez.

ze08
Zé Maria era muito Amigos do todos pois era sempre de bom humor.
Mestre Zé da Encruzilhada, era em vida Boemia e bom catimbozeiro
Mestre Zé da Encruzilhada que recebera o nome em homenagem ao lugar que viveu e foi passado para a Jurema (encantado), não tinha paradeiro certo, mais gostava da movimentação da Cidade, pois Recife foi o Maior Centro Comercial da época, devido a sua colonização.
Vale a Pena falar que o Mestre Zé Mulambo era de Pernambuco, e a Maria Mulambo de Maceió – Alagoas que também e uma Mestra Esquerdeira, não se conheceu em vida.
O Mestre Zé Mulambo  era Militar e deixou tudo pelo Alcoolismo passou morar nas ruas mais tinha casa, e nos raro momentos sóbrios era muito catimbozeiro.
ze_ferreiroA Mestra Maria Mulambo ela viveu em Maceió – AL, filha de um grande família criadora de gado, ela se apaixonou por um boiadeiro, e o seu Pai, e matou o vaqueiro de bater.
Maria Mulambo se juntou com os ciganos do Jacintinho.
Até o ano de 1940, o que é hoje o bairro mais populoso de Maceió, o Jacintinho, não passava de um imenso sítio com predominância da Mata Atlântica, O crescimento foi dividindo o bairro: tem o Jacintinho, o Jacintão, além da Grota do Cigano, Aldeia do Índio, Piabas, Grota do seu Arthur e Alto do Boi.
Foi La que entrou junto com os ciganos nas aldeias indígena e foi consagrada, e junto com os Feitiços Ciganos que fora seus amigos.
Matou a sua família toda no catimbó.
Como ela foi expulsa de casa, pois não era mais moça virgem, que se perdeu com o tal boiadeiro, e sua família perdeu tudo que tinha por causa de seus feitiço Maria Molambo viveu os seus dias pelas Ruas de Maceió, foi expulsa de casa e foi para o Cabaré de Maria Padilha na Rua da Paz Bairro do Jaraguá – Maceió, e por ser sua amiga, não se prostituía, ela ia para o Jacitinho fazer Bruxaria e maldade para o povo.
WhatsApp-Image-20160701Torre Malakoff, Placa do Prédio onde o Mestre Zé Maria passou em frente no pé de uma Figueira.
Como todo bom Boêmio, o Mestre Zé Maria, gostava de cantar, brincar com as pessoas, falar trocadilhos, alegrar os ambientes onde estava a fim de ganhar a simpatia das pessoas e ser presenteado com bebidas, mesmo podendo pagar por elas.
É um Mestre muito ciumento, Amoroso, e apegado com as pessoas, mais e muito inquieto, começa falar com uma pessoa e pede para esperar arruma outro assunto do outro lado e depois de algum tempo volta para terminar o assunto da primeira.
O que faz ser muito interativo.
Bom Jogador, e muito galanteador, segundo ele antes de tornar do alcoolismo tinha bons tratos.
Como é hábito de costume para falar de um mestre temos que voltar a sua época, onde tudo se deu o início no Bairro da Encruzilhada – Recife. PE onde morava.
16398708150_8e7b0d8495_b
Torre Malakoff Praça do Arsenal , 27 de Setembro de 1913.
Construção Porto do Recife - 1913Torre Malakoff ao fundo na frente um porto

???????????????????????????????

encruzilhada (1)
História do Bairro da Encruzilhada
santos38
Seu nome deriva de um cruzamento de linhas férreas. A linha de trens de Great Western Recife – Limoeiro, de bitola estreita, e a linha de trens até Olinda, que em 1930 foram substituídos por bondes (maxambombas) que iam até o bairro de Beberibe. Nesse cruzamento foi aberta, em 1881, a estação da Encruzilhada, integrante da via férrea Recife-Limoeiro, que era bastante movimentada.
Geografia
 No local do antigo cruzamento de linhas férreas atualmente se cruzam duas grandes avenidas: a Avenida Norte e a Avenida João de Barros.
No final desta avenida fica o Largo da Encruzilhada, de onde saem a Avenida Beberibe e a Estrada de Belém.
A denominação de Encruzilhada deve-se ao fato de, por ali, terem apitado e cruzado os trens provenientes do Recife, de Beberibee de Olinda.
Em 1915, os trens foram substituídos por bondes elétricos da Pernambuco Tramways.
Naquela localidade, havia um curral onde descarregavam os trens que vinham do interior do estado de Pernambuco, carregados de bovinos e suínos. Nesse curral, os animais passavam certo tempo para a engorda e, depois, eram enviados para o Matadouro de Peixinhos através da Estrada de Belém.
Em 1927, uma pequena aeronave – a Jahú –veio da Itália para o Brasil, fazendo escala em Fernando de Noronha.
Seus tripulantes eram Ribeiro de Barros, Cinquini, Newton Braga e o capitão Negrão.
No Recife, uma semana de grandes recepções foi oferecida aos aviadores.
E foi erguido na Encruzilhada, em homenagem aos tripulantes da aeronave, um monumento de oito metros de altura: uma coluna em estilo dórico, tendo em seu topo um globo terrestre e, acima dele, uma águia. Na base da coluna lia-se o seguinte.
No Largo da Encruzilhada situa-se o centro comercial do bairro, onde estão erguidos o Mercado da Encruzilhada e o monumento em homenagem à travessia transatlântica da aeronave Jahu, realizada em 1927.
O Bairro da Encruzilhada tem como vizinhança os bairros de Campo Grande, Hipódromo, Espinheiro, Rosarinho, Torreão, Arruda e Santo Amaro.
Não tardou muito para que estas questões relacionadas à invenção da locomotiva e à construção de estradas de ferro fossem conhecidas no Brasil.
Pode-se dizer que as primeiras iniciativas nacionais, relativas à construção de ferrovias remontam ao ano de 1828, quando o Governo Imperial autorizou por Carta de Lei a construção e exploração de estradas em geral. O propósito era a interligação das diversas regiões do País.
dsc00153
A segunda ferrovia inaugurada no Brasil foi a Recife – São Francisco, no dia 8 de fevereiro de 1858, quando correu o primeiro tem até a Vila do Cabo, Onde Nasceu o Mestre Preto Zé Pelintra, em Pernambuco, Mais o Mestre Preto Zé Pelintra viveu na época de Dom João VI, porque Maria Luziara veio de Portugal com a corte, e quando o Rei volta para Portugal ela foi obrigada ir para o Prostíbulo onde conhece o mestre, a linha de Trem foi anos depois que os mestre para quem ele foi consagrado que foi maquinista do trem, ele era conhecido o Mestre do Chapéu de couro, veja no link a sua historia completa.
Esta ferrovia, apesar de não ter atingido a sua finalidade – o Rio São Francisco – ajudou a criar e desenvolver as cidades por onde passava e constituiu o primeiro tronco da futura “Great Western”.
Já no Rio Grande do Norte com A locomotiva potiguar inaugurou a ponte sobre o Rio Potengi em 1916 e a ponte de concreto em 1970, durante o governo de Walfredo Gurgel.
 O Mestre Benedito Fumaça foi um dos Maquinista da Catita umas das primeiras catitas que cruzou no nordeste Brasileiro ele era do Rio Grande do Norte.
Entre os anos de 1966 e 1969 as locomotivas a vapor foram desativadas e substituídas pelas máquinas diesel elétricas, restando apenas a Catita-03, que permaneceu funcionando até 1975 na manobra interna localizada no pátio das Rocas.
Em 1975, a Catita e o reboque foram enviados para da Rede Ferroviária Federal S/A – Refesa com sede em Recife, onde permaneceu até 1998 quando foi enviada para o galpão anexo ao Museu do Trem.
No Largo da Encruzilhada foi erigido um monumento comemorativo ao pouso da aeronave Jahu, que em 1927 desceu nas águas do Porto do Recife, proveniente de Gênova, Itália, passando por Natal, RN. No entanto, o monumento foi demolido “irresponsavelmente” pela prefeitura, sem consulta prévia ou argumentação.
Existe, também, o Mercado da Encruzilhada, inaugurado em 1950.

A Jurema Sagrada e os seus Juremeiros
Que hoje são Mestres (as)

 Jurema Sagrada como tradição “mágica” religiosa, ainda é um assunto pouco estudado.
É uma tradição nordestina que, em suas múltiplas formas atuais, revela influências as mais variadas, e que vão desde a feitiçaria Europeia até a pajelança indígena, passando pelas religiões africanas, pelo catolicismo popular, e até mesmo pelo esoterismo moderno e pelo cristianismo esotérico, além de, em certos casos, estabelecer a diferença principal entre as práticas de umbanda e do catimbó.
A jurema (mimosa hostilis) depois de crescida é uma frondosa árvore que vive mais de 200 anos. Todas as partes dessa arvore são aproveitadas: a raiz, a casca, as folhas e as sementes, utilizadas em banhos de limpeza, infusões, ungüentos, bebidas e para outros fins ritualísticos.
Os devotos iniciados nos rituais do culto são chamados de Juremeiros.

Juremeiro Neto

Anúncios